Após debandada, time pode dar WO na Série C do Campeonato Brasileiro

A situação do Imperatriz, que já é pra lá de péssima no Campeonato Brasileiro da Série C, pode ficar ainda pior. Isso porque, de acordo com a Coluna do Futebol, um grupo de jogadores trazidos pela JB Sports, agora ex-parceira do clube, abandonaram o elenco e dessa forma o Cavalo de Aço não teria atletas suficientes para o jogo desta quarta-feira (14), contra o Jacuipense, partida adiada da segunda rodada.

De acordo com a publicação, na semana passada 11 dos 16 jogadores trazidos pela JB Sports deixaram de treinar e alguns deles já até deixaram a cidade.

Outros atletas estão entregues ao departamento médico e como não há tempo hábil para que eles se recuperem, o clube teme não ter a quantidade mínima de jogadores exigida pela CBF para poder entrar em campo.

O goleiro Henal, os zagueiros Xandão, Felipe Marcelino e Douglas Mendes, os laterais Makeka e Léo Rodrigues, os meias Jocinei, Erthal e Judson e os atacantes Anderson Cavalo e Guilherme Garré foram os jogadores trazidos por meio da parceira que deixaram o grupo.

Já o goleiro Rodrigo Calchi, o meia Edu Amparo e os atacantes Reginaldo Jr e Blaise Loic, outros trazidos pela empresa, ficaram.

Os zagueiros Ramon Baiano, Odair, Henrique Mattos e o lateral Lorran estão entregues ao departamento médico e, para piorar a situação, na manhã desta terça-feira (13), o fisioterapeuta do clube, Rodrigo Loureiro, pediu demissão.

Time corre contra o tempo

Por causa da pandemia, a CBF autorizou que cada time inscrevesse até 40 jogadores e pudesse realizar oito substituições.

O Imperatriz ainda pode inscrever cinco jogadores e fazer três trocas, porém, para o jogo contra o Jacuipense, que será nesta quarta, não há tempo hábil para inscrever novos atletas, uma vez que os registros teriam que está vigente em até um dia útil antes de uma partida oficial.

Agora a diretoria corre atrás de jogadores que haviam acertando antes da parada do futebol e que ainda não assinaram a rescisão.